Breve histórico

 

Cansados de ver nossos heróis a “ver navios” no momento em que mais precisam, viúvas completamente desamparadas faltando até mesmo o básico para si e seus filhos.

 

Nós, profissionais da segurança pública, quando impossibilitados de defender a população, seja por termos levado um tiro de fuzil, atingidos por estilhaços de granada, queimados em um grande incêndio, atropelados no socorro às vítimas de colisão, ou qualquer outro motivo de incapacidade adquirida no exercício de suas funções, tudo acaba para ele. Apenas restam lembranças das ruas e das pessoas. A partir daí começa o martírio.

 

Nada é fácil, falta tudo para estes heróis! Uma muleta, cadeira de rodas, cama hospitalar para melhor atendimento domiciliar, remédios, enfim, falta amparo. A renda é curta, tornando-se impossível até mesmo o famigerado “bico”, complemento necessário à sua sobrevivência.

 

Por esse motivo estamos empenhados na missão de promover mudança e temos a honra de dizer aquela famosa máxima:"Todos por Todos".





 

         João Rodrigues da Silva

-Graduado em Teologia.

-Pós-Graduado em Gestão Empresarial.

-Pós-Graduado em Gestão de Projetos.

-Pós-Graduado em Gestão de Pessoas. 

-Palestrante em prol da vitimização dos agentes da Segurança Pública.

-Conselheiro Estadual da Secretaria de Segurança Pública do Estado do R.J. 

-Conselheiro Estadual de Defesa dos Direitos Humano do Estado do R.J. 

           TÍTULOS E HONRARIAS

-Medalha de Bravura (Câmara Municipal Duque Caxias). 

- Medalha Mallet. (30 GAC)

-3 Moções de Louvor (ALERJ).

- 1 Moção de Congratulações (ALERJ). 

- 2 Moção Louvo (Câmara Municipal /RJ)

                       A palavra do nosso Presidente


Com mais de trinta anos de serviço nas fileiras do Corpo de Bombeiros, iniciei minha carreira no quartel do 3° Grupamento de Incêndio de Niterói como soldado combatente. 

Participei de muitas ocorrências em incêndios, salvamentos, desabamentos e alagamentos até vir para capital onde tive o privilégio de ser o primeiro Bombeiro Militar a tripular as ambulâncias do recém fundado Grupamento de Socorro de Emergência (GSE), no incêndio do Edifício Andorinha, no ano de 17/02/1986, terminando minha carreira no Grupamento Marítimo da Barra da Tijuca, atuando em ocorrências de socorro em afogamentos no Centro de Recuperação em Afogado (CRA) e situações diversas, como colisões, atropelamentos, desabamentos e enchentes, como as que ficaram nas lembranças de muitas pessoas: 


Mas faltava alguma coisa. Não sabia o que era! Até deparar-me com a situação de total abandono em que se encontram os meus companheiros, tanto os reformados quanto os aposentados e seus dependentes. Como já tinha feito tanto por nossa população, que muitas das vezes desconhecem que também somos tão vitimas do sistema  quanto elas...  Surgiu então a conscientização de criar a Galeria de Heróis uma entidade que tem por objetivo maior.

 

"Lutar pelos heróis que tanto lutam por Nós

Enquanto o povo dormir, um deles morria
Agora o povo sorri, e a família dele chora"


Esta é a visão da população perante o homem da segurança pública.